REINOTECA

Priorizando o Reino de Deus na sua vida

slot

Seg07282014

Last update01:10:56 PM

Font Size

Profile

Menu Style

Cpanel

A igreja primitiva em comparação com a igreja atual

A IGREJA PRIMITIVA

Para compreendermos melhor o cenário da igreja atual em relação a igreja primitiva, temos que voltar aos primórdios da igreja. No livro de Atos dos Apóstolos encontramos uma narrativa de como foi o início da igreja de Jesus Cristo aqui na terra. Aqui temos o exemplo deixado pelos apóstolos e um padrão permanente para a igreja.

Quem quiser seguir a Cristo deve levar em conta os exemplos dos apóstolos vistos neste livro. Exemplos de santidade, ousadia, sofrimento, oração, fraternidade e união. As principais características da igreja primitiva, narrada no livro de Atos dos Apóstolos são:

· As últimas instruções de Jesus e a ordenança de evangelizar as nações. A essência do Cristianismo é comunicar o Evangelho, as mensagens de amor, fraternidade e esperança do Cristo. Os apóstolos, depois do próprio Cristo, foram os primeiros a utilizarem a comunicação verbal com o propósito de evangelizar. Esta missão continuou sendo cumprida há séculos, quer por pessoas individualmente quer por comunidades de cristãos. Portanto, não se pode negar que o evangelismo era parte integral da vida da igreja primitiva, sendo que isto acontecia diariamente. A proclamação da verdade era parte essencial da vitalidade da Igreja de Cristo.

 

· A igreja estava constantemente em oração. As orações tinham um papel fundamental na vida da Igreja Primitiva. Isso pode ser claramente percebido pelo relado deixado por Lucas, que diversas vezes considera as orações dos primeiros cristãos. Em Atos podemos ver que a oração foi a atitude dos cristãos diante das decisões a serem tomadas (1.14), a atitude da liderança da igreja em situação de crescimento (6.4) e a prática da igreja quando estava em situação de perigo e perseguição (12.5)

 

· A igreja supria os necessitados. A igreja supria toda necessidade de orfãos e viuvas,e tambem vimos que irmãos vendia propiedade para socorrer irmãos necessitados.

· Curas e maravilhas eram realizadas pelos apóstolos, dando sequência ao que Jesus tinha feito. As curas na Bíblia eram instantâneas. Não havia reação retardada. Os cegos recebiam sua vista na hora; os coxos começavam a andar, correr e saltar; a pele dos leprosos era purificada instantaneamente (Mateus 8:3; 12:13; Atos 3:7-8; João 9:7). As curas miraculosas foram sempre completas. Não havia curas parciais (Atos 3:16). A maneira de Jesus e dos apóstolos era simples. Não havia fanfarras; não havia nada encenado. Aqueles com a verdadeira capacidade de curar faziam seu trabalho calmamente, simples e completamente.

 

· Prisões e sofrimento fizeram parte da vida dos apóstolos. Dados históricos e informações preservadas pela tradição antiga referentes ao que ocorrera com os apóstolos e outros importantes líderes do cristianismo, nos ajudam a entender que o compromisso com o caminho da cruz foi levado até as últimas conseqüências. Muitos foram submetidos ao martírio por causa do evangelho de Cristo.

 

A IGREJA ATUAL

Com a leitura do livro de Atos dos Apóstolos devemos compreender que servir a Deus está acima de todas as coisas e mesmo em meio às dificuldades e sofrimentos é necessário mantermos o padrão bíblico de obediência a Deus, fazendo uma comparação da igreja primitiva com o cristianismo atual, iremos encontrar diferenças discrepantes. Veja algumas coisas que ocorre na igreja atual e não encontramos em Atos dos Apóstolos.

· Muitas pessoas têm procurado as igrejas evangélicas para obter benefícios materiais apenas e esquecem-se do que é de fato a igreja. Hoje as igrejas joga tudo para obras sociais do governo, onde elas são beneficiadas com várias isensões de impostos,e portanto não haveria a necesidade de dízimo e sim algumas coletas para pequenas despesas, lembrando que Deus não precisa de dinheiro. Nestes dias, o dízimo serve mais para salários de pastores e suas mordomias.

  • A igreja tem sido usada por muitos apenas para “cobrar” bênçãos de Deus. A Bíblia nos ensinas que não é correto cobrar ou pedir ofertas em troca de milagres e curas, pois é Deus quem as faz e não o obreiro. Jesus ordenava aos seus discípulos “Curai os enfermos, limpai os leprosos, ressuscitai os mortos, expulsai os demônios. De graça recebestes, de graça daí” (Mt 10.8). Hoje em dia, quando um dos que "curam" não têm êxito, geralmente, atribuem a culpa pelos insucessos à falta de fé por parte dos que querem ser curados. Mas na Bíblia, aqueles que realmente tinham o poder de curar conseguiam seu intento. Há uma única exceção registrada (Mateus 17) e, nesse caso, o problema foi uma falta de fé por parte dos que pretendiam curar. Nem todos aqueles que recebiam as curas tinham fé; de fato, alguns que nem esperavam ser curados o foram (João 5; Atos 3). Deus nunca falha. Se houvesse, nestes dias, pessoas que verdadeiramente tivessem poderes especiais de Deus para curar, eles também não falhariam.

 

  • O relativismo é tolerado como normal por muitos. A idéia de pecado passa ser algo muito vago. Tem muita gente convivendo com o pecado e está até gostando. O pecado em muitos já até se institucionalizou, se acomodou; convive-se, suporta-se, acaricia-se, é um animal de estimação. A vida destes gira em torno de seus deuses como: sexo, fama, poder, moda, filosofias, avarezas, dinheiros e prazeres (hedonismo), criando raízes e conseqüências, principalmente no homem natural e nos crentes carnais. Tem muita gente brincando com o pecado. Não podemos brincar nem com a sorte e nem com misericórdia de Deus. Não podemos ser irresponsáveis a ponto de colocarmos nossa vida e futuro em perigo. Tem muita gente assim, que crêem mais em outros meios para se livrar, crêem mais em ídolos, na sua própria capacidade, soberba, altivez, arrogância, posição dualista: deus e o diabo, do que em Deus.

 

  • A chamada “Teologia da Prosperidade”. Propagada hoje no Brasil por alguns segmentos evangélicos, tem enfatizado que seguir a Jesus é automaticamente candidatar-se a uma vida de sucesso financeiro, de projeção social e quase imunidade a qualquer tipo de sofrimento. Na verdade, até mais do que isto, segundo tal proposta, todo cristão tem o direito de reivindicar e até exigir de Deus a satisfação de seus desejos pessoais. A “teologia da prosperidade” está trazendo o celeste porvir para o terrestre presente. Para comermos a melhor comida, para vestirmos as melhores roupas, para dirigirmos os melhores carros, para termos o melhor de todas as coisas, para adquirirmos muitas riquezas, para não adoecermos nunca, para não sofrermos qualquer acidente, para morrermos entre 70 e 80 anos, para experimentarmos uma morte suave. Basta crermos no coração e decretarmos em voz alta a posse de tudo isso. Basta usar o nome de Jesus com a mesma liberdade com que usamos nosso talão de cheques.

  • O amor ao dinheiro tem corrompido a igreja. Antigamente para se tornar membro de uma igreja Evangélica, o candidato teria que passar por uma avaliação rigorosa.
    Tendo que mostrar que era realmente convertido, que não é o caso de nossos dias.
    Hoje o que é mais visado é a quantia com que ele pode dizimar ou contribuir com ofertas. A exploração religiosa hoje se tornou prioridade da maior parte dos que dirigem determinadas religiões, a meta principal é faturar.

  • Líderes despreparados tem preojudicado o evangelho. Outro grande empecilho é a falta de preparo de certos lideres que tem nome de pastores, mas nunca cursou uma faculdade ou teve qualquer orientação bíblica, não tendo condições psicológicas para administrar, acabam por meter os pés pelas mãos, e causam grandes escândalos distorcendo assim todo ensinamento de Jesus, da maneira mais sórdida, adotando doutrinas totalmente contraria o que Ele ensinou e fazem de tudo para tirar proveito da religião. Obviamente fica um grande prejuízo a causa do Evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo, desacreditando a quem com responsabilidade procura fazer a cosisa certa.

 

RESUMO

A igreja de Jesus Cristo iniciou sofrendo muitas perseguições. Os apóstolos foram presos, alguns apedrejados, outros mortos e tudo isto porque eles davam testemunho de Jesus Cristo. Eles pregavam era que Jesus havia ressuscitado, subido ao céu e que voltaria. Pregavam que era necessário o arrependimento dos pecados e entregar a vida a Jesus Cristo para obter a salvação. A mensagem que Paulo, Pedro, Estevão, João, Tiago e outros pregavam naquela época continua valendo para os nossos dias. Ela não caducou, pelo contrário, continua viva e atual para a igreja contemporânea.

O que Jesus disse sobre pregar o evangelho, a fim de ganhar almas, parece que ficou meio esquisito nas cabeças de muitos. Pois parecem ter vergonha de receber o nome de Cristão ou de ser chamados de crentes. O testemunho que recebeu a incumbência de mostrar para os outros a vida transformada por Cristo, nem se fala, isto a gente pensa depois, e este depois vai sempre ficando para depois. Enquanto isto satanás está ganhando terreno, aqueles que se dizem crentes verdadeiros, tem que assumir um compromisso com Deus, para virar esta pagina o quanto antes. O trabalho do Senhor não pode ficar prejudicado, por falta de testemunho de quem precisava dar exemplos positivos, para que todos vissem nele a luz verdadeira do Evangelho. Todo aquele que assume responsabilidade, diante de Deus para administrar qualquer igreja, deverá ter preparo para enfrentar os problemas que surgirem.
Deverá levar sua vida de maneira a refletir positivamente e não negativamente, que sejam atentos e não dar lugar para suspeitas.

por Natal Pereira da Silva
Em  25/03/2010 - Instituto Moriah